terça-feira, 29 de junho de 2010

Medicina do futuro ou do presente?

por Rogério Eduardo Sarmento-Leite*

A evolução da medicina é fascinante, envolvendo todas as especialidades que passam por uma revolução. Com a explosão da tecnologia e expansão do conhecimento, importantes avanços estão sendo vividos. Fármacos, dispositivos, próteses, métodos de imagem e novas intervenções têm sido criados, testados e incorporados. Todavia, muitas outras novidades estão por vir. Da simples consulta ambulatorial até o complexo transplante de um órgão, existem profissionais capacitados a desempenhar atividades com dedicação e na busca da excelência. Observa-se aumento na expectativa e na qualidade de vida, além do manejo de enfermidades outrora consideradas sem tratamento. Paradoxalmente, inúmeros indivíduos são excluídos desse prêmio, por motivos econômicos ou geopolíticos.

A futurologia apresenta possibilidades de erros. Entretanto, dentro dos limites éticos e morais, o presente demonstra que os melhores resultados estão no desenvolvimento de técnicas menos invasivas e em equipes multidisciplinares responsáveis pela assistência. Uma estreita ligação com a ciência básica e sintonia com as áreas administrativas são essenciais. O racional gerenciamento dos recursos financeiros é vital. Os altos custos da medicina de ponta, em algumas situações, inviabilizam um melhor atendimento assistencial. Os governos e as associações médicas deverão regulamentar as ações. Novas vacinas estão surgindo. Doenças crônicas já têm alternativas terapêuticas aprimoradas. O diagnóstico por imagem aumentou a resolução e a precocidade de detecção ficando cada vez menos agressivo e mais elucidativo. Cirurgias de grande porte são substituídas por procedimentos minimamente invasivos e de maior simplicidade, diminuindo o tempo de internação hospitalar e a morbimortalidade. Patologias ditas incuráveis e pacientes classificados como terminais apresentam perspectivas de salvação. Medicamentos eficazes estão tornando confortáveis os tratamentos. A informática difundiu o conhecimento e está facilitando comunicações e armazenamento de informações. A genética, as terapias celular e hormonal e os procedimentos por cateter seguem promissores, a permitir um sem-número de atos preventivos e terapêuticos. A eternidade, porém, não foi nem será alcançada e estou convicto de que a clonagem jamais substituirá o indivíduo. Tampouco há de desaparecer o lado humano do “velho médico”: ouvidos e estetoscópio continuarão a escutar e auscultar coisas que só a experiência e o relacionamento ensinam e são indispensáveis. Contudo, cuidados e prevenção seguem imprescindíveis para a preservação da saúde. As novas tendências nos remetem para o progresso, com mudança de padrões. Todavia, muitas questões deverão ainda ser elucidadas. A ciência de alta tecnologia e a medicina baseada em evidências, trarão outros questionamentos, mais respostas, descobertas e, certamente, melhores soluções.

Será a medicina do futuro ou já é a do presente?

*Médico cardiologista, pesquisador e professor de pós-graduação

Fonte: Zero Hora, 26 de junho de 2010.


Deixe seu comentário:

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Aniversário da Biblioteca



Na próxima segunda-feira, dia 28, a Biblioteca estará completando oito anos de atividades nas novas instalações.

Para comemorar esta data, estão programadas algumas atividades entre as 11h e 12h desse dia.

Contamos com a sua presença!!

Deixe seu comentário:

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Computação móvel auxilia serviços de saúde

 Por Fábio Reynol


Agência FAPESP – O profissional de saúde chega à casa do paciente e abre o prontuário médico eletrônico com um toque no celular. Caso a pessoa necessite ser analisada por um especialista, o agente chama pelo mesmo aparelho o médico de plantão. Por videoconferência, o paciente é apresentado ao especialista pela câmera do celular. Após o procedimento, o profissional de saúde dita o relatório da visita no aparelho e um software transforma o som em texto, que será arquivado no banco de dados do centro de saúde.


Essa sequência é parte de um cenário que pesquisadores do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME-USP) estão ajudando a criar com o desenvolvimento do projeto Borboleta: Sistema integrado de computação móvel para atendimento domiciliar de saúde, iniciado em 2007 e apoiado pelo Instituto Microsoft Research-FAPESP de Pesquisas em TI.


O projeto surgiu de uma conversa informal, segundo contou o coordenador do projeto, professor Fabio Kon, do Departamento de Ciência da Computação do IME, à Agência FAPESP.

“Queríamos desenvolver um trabalho que tivesse um impacto importante na sociedade em poucos anos. Foi quando tive uma conversa com Rubens Kon, diretor do Centro de Saúde-Escola Samuel Pessoa – Butantã [da Faculdade de Medicina da USP], que me apresentou as demandas dessas unidades de saúde”, disse.


A equipe do IME, em conjunto com os profissionais do Centro de Saúde, decidiu desenvolver soluções para os serviços de atendimento domiciliar planejados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em especial o Projeto Saúde da Família (PSF), de caráter preventivo, e o atendimento primário domiciliar, destinado a pacientes que não conseguem se locomover às unidades de saúde e que precisam ser atendidos em casa, como é o caso de algumas vítimas de acidente vascular cerebral, pacientes recém-operados e idosos com dificuldade de locomoção.


“Percebemos que essas visitas geram um volume muito grande de documentos, que acabam sendo arquivados nos centros de saúde e que dificilmente serão acessados posteriormente”, disse Kon.


Ele conta que o profissional de saúde vai às ruas com uma pasta contendo anotações de todo os pacientes que serão visitados e a visita exige o preenchimento de formulários que serão adicionados aos prontuários e aumentarão a pilha de papel arquivado.


A solução apresentada pela equipe do projeto Borboleta foi substituir a papelada por arquivos eletrônicos a serem transportados em forma digital pelo profissional de saúde na memória de um aparelho celular do tipo smartphone, que é, no fundo, um computador portátil.


Os prontuários são transferidos para o smartphone ainda no centro de saúde. Na casa do paciente, o profissional acessa a documentação do paciente pelo aparelho, atualiza os dados e, ao retornar ao centro de saúde, transfere as informações por meio de uma rede sem fio para o banco de dados da unidade, de onde poderão ser acessadas com mais facilidade por outros profissionais quando for preciso.

Os smartphones ainda podem carregar listas de medicamentos disponíveis no centro de saúde, catálogo internacional de doenças e outros arquivos e informações úteis ao atendimento.


O desenvolvimento do sistema conta com apoio do Centro de Saúde-Escola Samuel Pessoa, da Faculdade de Medicina da USP e do Departamento de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) de São José dos Campos.


Projeto Borboleta: http://ccsl.ime.usp.br/borboleta/pt-br.

Fonte: Agência FAPESP:
http://www.agencia.fapesp.br/materia/11998/especiais/computacao-movel-auxilia-servicos-de-saude.htm 


Deixe seu comentário:

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Turismo médico

     
       Liderado pela Índia, Tailândia e Cingapura, o turismo de saúde movimenta US$ 60 bilhões no mundo, e o Brasil não quer ficar de fora.
       Segundo o Banco Mundial, esse tipo de viagem deve crescer 30% em 2010. Todos os anos, 1,6 milhão de americanos buscam fora do país tratamento mais baratos.
       Para se ter uma ideia do potencial, a Índia recebe 450 mil pacientes por ano. O Brasil, só 50 mil.
       Referência mundial em cirurgia plástica, de redução de estômago, tratamentos odontológicos, ortopedia e dermatologia, hospitais e serviços brasileiros se estruturam para receber estrangeiros.
       No Brasil, 22 instituições são creditadas pela Joint Comission International, ONG que certifica a qualidade de instituições médicas.
       Na capital, é o Moinhos de Vento (foto). Mas o Mãe de Deus e a Santa Casa estão em fase de certificação, adianta o secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes.
       Para entrar na onda, a prefeitura de Porto Alegre firmou parceria com hospitais, criando o "primeiro cluster de turismo médico do país."
       O acordo foi fechado com os hospitais São Lucas, Santa Casa, Moinhos de Vento e Mãe de Deus.  

Fonte: Zero Hora, 21/06/2010, p. 18


Deixe seu comentário:  

Pesquisa em saúde ganha portal

                                                             

Por Alex Sander Alcântara


Agência FAPESP – A produção científica dos 14 órgãos (entre institutos e unidades) ligados à Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo será reunida na internet no Saúde-SP Portal de Revistas, lançado no dia 21/05/2010.

De acordo com Sueli Gonsalez Saes, coordenadora da Rede de Informação e Conhecimento e secretária executiva do Conselho de Ciência e Tecnologia e Inovação em Saúde, dos 14 órgãos, sete são de pesquisa (Adolfo Lutz, Butantan, Clemente Ferreira, Dante Pazzanese de Cardiologia, de Infectologia Emílio Ribas, de Saúde, Lauro de Souza Lima e Pasteur) e os demais são centros de vigilância epidemiológica, vigilância sanitária e outros.

“O portal busca dar visibilidade às produções científicas desses órgãos ligados à Secretaria, ampliando o acesso ao nosso banco de dados sobre saúde pública. Não havia uma unidade editorial nas publicações, mas agora queremos padronizá-las e indexá-las”, disse à Agência FAPESP.

O objetivo é oferecer acesso a textos completos das coleções de periódicos, de modo a ampliar e divulgar o conhecimento técnico e científico produzido no âmbito da saúde pública no Estado de São Paulo.

Cinco títulos já estão disponíveis no Saúde-SP http://periodicos.ses.sp.bvs.br/ Revista do Instituto Adolfo Lutz, Cadernos de História da Ciência, Hansenologia Internationalis, Boletim Epidemiológico Paulista e Boletim do Instituto de Saúde.

Os institutos e demais unidades integram a Rede de Informação e Conhecimento (RIC), já disponível no site da RIC, lançado em 2006 pela Secretaria em parceria com o Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Bireme).

“Hoje dispomos de cerca de 46 mil registros, entre artigos, livros, teses, manuais técnicos, entre outros. É uma base de dados científica e técnica de produção institucional desses 14 órgãos. As demais bases científicas de dados em saúde, como Lilacs, Medline e Cochrane, estão disponíveis, junto com todos os outros serviços que a rede oferece”, explicou.

O sucesso da Rede deu origem ao Portal de Revistas como parte de um projeto de 2009, cujo objetivo foi ampliar os serviços de informação da RIC. Segundo Sueli, no Portal de Revistas foram priorizados, no primeiro momento, os periódicos que já estavam disponíveis eletronicamente.

“Mas a ideia é reunir as 24 publicações, entre boletins e revistas, produzidas pelas instituições da Secretaria. O objetivo é indexar todas as publicações elegíveis e transformá-las em revistas de alto impacto”, disse.

Os periódicos seguirão a metodologia da biblioteca científica eletrônica SciELO (Scientific Electronic Library On-line), programa criado em 1997 pela FAPESP em parceria com a Bireme.


“Queremos organizar e padronizar os títulos na metodologia SciELO, para que se tornem indexáveis no futuro e componham a coleção da SciELO. Mas, para isso, precisamos atender os critérios exigidos”, explicou Sueli.

A rede SciELO disponibiliza coleções do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Venezuela, Bolívia, México, Costa Rica, Paraguai, Peru e Uruguai, além de Espanha, Portugal e, desde 2009, África do Sul, que optou por adotar a plataforma para publicação dos seus periódicos científicos.

A rede só indexa e publica periódicos com veiculação regular, com controle de qualidade por revisão de pares e que concordem em manter seu conteúdo totalmente aberto e com acesso gratuito. Além disso, a rede permite o acesso ágil às coleções de periódicos, com várias estratégias de pesquisa, como lista alfabética de títulos, busca por autor, por assuntos ou por palavras.


“A Revista do Instituto Adolfo Lutz e a Hansenologia Internationalis, do Instituto Lauro de Souza Lima, já são indexadas em suas áreas. Mas a proposta é unificá-las na metodologia SciELO para, além de conseguir mais visibilidade, ter, por exemplo, acesso aos indicadores bibliométricos”, disse Sueli.

Segundo a coordenadora, além de indexar todas as publicações dos institutos e unidades ligados à Secretaria da Saúde, os próximos passos incluem fazer a digitalização das revistas mais antigas. “Até 2000, a Revista do Adolfo Lutz só existia na forma impressa”, contou.

O grupo envolvido no projeto realizou cursos de capacitação na metodologia Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) da Bireme para publicação eletrônica de periódicos científicos para bibliotecárias e os editores de revista científica.

“Embora tenha como público-alvo pesquisadores, médicos e profissionais de saúde, o objetivo é abarcar os diferentes tipos de público, para que a informação sobre saúde seja útil a todos”, disse.

A coordenadora também salientou, além do apoio institucional, o trabalho da equipe envolvida. “É um trabalho cuja realização se deve às equipes envolvidas, sejam de pesquisadores, diretores, coordenadores ou de bibliotecárias, que foram lideradas pela coordenadora das Bibliotecas da SES-SP, Lilian Schiavon”, destacou Sueli.

Desde que foi lançada em 2006, a RIC vem aumentando a visibilidade e se transformando em um importante banco de dados sobre saúde. De 2006 a 2010, o número de acessos passou de 500 para 4,5 mil mensais.

Mais informações:

•http://periodicos.ses.sp.bvs.br/

•http://ses.sp.bvs.br

Fonte: Boletim Agência FAPESP


Deixe seu comentário:

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Portal de Periódicos CAPES com acesso externo

   É com grande satisfação que trazemos esta notícia para todos que acessam este Blog e principalmente a quem acessa o Portal da Capes!
   No dia de hoje recebemos a informação de que o Portal da CAPES pode ser acessado fora da Universidade.
   Este era um grande desejo nosso e principalmente de toda a comunidade acadêmica, que necessitava ter acesso ao Portal através de casa e não somente na UFCSPA.


   Repassamos os procedimentos informados pelo Setor de Informática necessários para que se tenha acesso externo:


   O acesso será feito por meio de um proxy (servidor) que exige autenticação, sendo necessário que o interessado :


1) seja um usuário da rede UFCSPA, com login e senhas institucionais válidos;

2) instale o progama "Stunnel", para criptografar os dados e tornar a  navegação segura para o usuário e para a Universidade;

3) leia atentamente os manuais de instalação do "Stunnel" e de configuração do proxy.


As orientações e o programa para download estão disponíveis no site institucional através do banner:
http://informatica.ufcspa.edu.br/index.php?link=proxy

ou no site do Núcleo de Tecnologia da Informação:
http://informatica.ufcspa.edu.br/



 
Deixe seu comentário:

sábado, 12 de junho de 2010

Blogs interessantes

Como todo mundo sabe, existem vários Blogs interessantes!! E outros nem tanto assim!!

De qualquer forma, a ideia deste Blog é de ser um Blog que traga informações interessantes e que acrescente algo para quem o acessa.

Pensando assim, selecionamos alguns Blogs que valem a pena serem acessados, até mesmo para conhecê-los.

Seguem algumas sugestões:



Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária internacional, independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam. Também é missão de MSF tornar públicas as situações enfrentadas pelas populações atendidas.
São cerca de 28 mil profissionais de diferentes áreas, espalhados por mais de 60 países, atuando diariamente em situações de desastres naturais, fome, conflitos, epidemias e combate a doenças negligenciadas.
A organização foi criada em 1971, na França, por jovens médicos e jornalistas, que atuaram como voluntários no fim dos anos 60 em Biafra, na Nigéria. Enquanto a equipe médica socorria vítimas em uma brutal guerra civil, o grupo percebeu as limitações da ajuda humanitária internacional: a dificuldade de acesso ao local e os entraves burocráticos e políticos faziam com que muitos se calassem frente aos fatos testemunhados.
A organização é uma iniciativa independente de governos e sustentada, em grande parte, por contribuições privadas, o que lhe confere agilidade e liberdade para oferecer ajuda humanitária onde for necessário.
MSF surge, então, como uma organização médico-humanitária que associa socorro médico e testemunho em favor das populações em risco.



Blog Direito Sanitário: saúde e cidadania



Disponibiliza informação sobre direito sanitário, assistência à saúde, conselhos de saúde, controle social, direito à saúde, integralidade, e outros temas pertinentes.
 
 
Blog do Laboratório de Técnica Dietética


Apresenta informação sobre nutrição e dietética, composição de alimentos, padronização de receitas, preparações modificadas (receitas sem glúten ou lactose, por exemplo), métodos de cocção, avaliação sensorial, e outros temas relacionados.

 
Blog Qualidade de Vida
 
Disponibiliza ações de qualidade de vida do setor público relacionadas a valorização, assistência, educação, promoção, e prevenção em saúde, alem de ações sócio culturais e de meio ambiente.

 
Influenza A (H1N1) Blog
 
Disponibiliza informações sobre a Gripe A (H1N1).
 
 
ePORTUGUÊSe
 
Blog da ePORTUGUÊSe, iniciativa da Organização Mundial da Saúde. Traz textos sobre datas em saúde e notícias, além de links para outros blogs e instituições de interesse.


BLOG Dependência clínica - UNIAD
O BLOG da UNIAD tem por objetivo auxiliar a divulgação de notícias e possibilitar o intercâmbio de conhecimento nessa área. Os profissionais da UNIAD selecionam os principais assuntos para divulgação. A Coordenação Geral do BLOG é do Prof. Dr Ronaldo Laranjeira.



Deixe seu comentário

terça-feira, 8 de junho de 2010

Sala de Pesquisas on line

          A Universidade está disponibilizando à comunidade acadêmica a "Sala de Pesquisas On Line".

         Situada no 6º andar do prédio principal, a sala tem por objetivo oferecer um ambiente com 24 terminais de computador, exclusivamente para pesquisas de cunho acadêmico e individuais.

        Pesquisas em grupo devem ser feitas nas salas de estudos da Biblioteca. 

        A "Sala de Pesquisas On Line" está aberta de segunda a sexta-feira, no horário das 10h às 19h.


Deixe seu comentário

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Dia 5 de Junho - Dia Mundial do Meio Ambiente

No dia 5 de junho comemora-se o  Dia Mundial do Meio Ambiente.

A data foi recomendada pela Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, realizada em 1972, em Estocolmo, na Suécia. Por meio do decreto 86.028, de 27 de maio de 1981, o governo brasileiro também decretou no território nacional a Semana Nacional do Meio Ambiente.

Em comemoração à Semana do Meio Ambiente, além do II Ciclo sobre Saúde e Meio Ambiente, realizada entre os dias 31 de maio e 2 de junho, ocorrida no salão nobre da UFCSPA, está ocorrendo a exposição NO STRESS Oxidativo no Espaço de Exposições da Universidade.

A exposição fotográfica da Câmera Viajante Escola de Imagem, que se encerra no próximo dia 18 de junho,
traz fotografias do Rincão Gaia*, Aparados da Serra, Mata Atlântica e Porto Alegre Rural.



*Rincão Gaia é uma peculiar propriedade no interior do RS, com seus 30 hectares localizados no município de Pantano Grande, a 120 km de Porto Alegre. Lá funciona a sede rural e social da Fundação Gaia, fundada por José Lutzenberger.

A sociedade precisa manifestar a sua opinião sobre a proteção ao meio ambiente e exigir esta proteção como um exercício de legitimação da cidadania e dignidade humana. Precisamos apontar caminhos e oferecer alternativas para a superação da atual crise ambiental, preservando os valores ainda existentes e recuperando os valores que estão prestes a desaparecer. A crise da civilização contemporânea vem provocando acontecimentos como o desmatamento, a perda da biodiversidade, a exaustão do solo, a morte dos rios e lagos e a poluição do ar. Desta forma, o melhor meio de tratar as questões ambientais é assegurando a participação de todos os cidadãos interessados.


A ecologia, conceito historicamente recente, encontra um espaço significativo na produção artística contemporânea, inclusive na fotografia. No stress oxidativo apresenta imagens sobre a natureza produzidas pela equipe da Câmera Viajante Escola de Imagem em diversos ambientes, incluindo a Mata Atlântica e o Rincão Gaia, paraíso ecológico idealizado pelo ambientalista José Lutzenberger.

A ideia da exposição é atentar para a importância da boa qualidade do ar e seus benefícios para a saúde humana. As imagens captadas pela Câmera Viajante demonstram as belezas de um ambiente saudável, livre da exposição urbana aos poluentes do ar. Desta forma, vejo a fotografia da natureza como uma ferramenta singular de estímulo à sensibilidade individual para a preservação ambiental. Esta mostra nada mais é que uma proposta que integra ambiente, arte e cultura, contribuindo para uma sociedade mais consciente e responsável pela grande diversidade planetária.

Nesta exposição, entre uma imagem e outra, lembre-se que você pode “InspirAR, expirAR e suspirAR”. (Christian Lavich Goldschmidt – Curador)


Deixe seu comentário

terça-feira, 1 de junho de 2010

Banco de Pele da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre ganha o nome de seu criador, o cirurgião Roberto Chem.

Um ano após o desaparecimento do voo 447 da Air France, a memória do médico Roberto Corrêa Chem é imortalizada em um dos locais que mais o enchiam de orgulho.


O cirurgião plástico, era chefe do Serviço de Cirurgia Plástica da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, onde também idealizou o Banco de Tecidos Humanos, único em funcionamento no país. Na quarta-feira, 26 de maio, uma emocionante solenidade batizou com seu nome o local, agora oficialmente Banco de Tecidos Humanos Dr. Roberto Corrêa Chem.


Médico há mais de três décadas, Chem tinha 66 anos quando sofreu o acidente. Em maio de 2009, viajava para comemorar a recente aprovação como professor-titular de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, título máximo na vida acadêmica de um docente. No dia a dia, tanto em família quanto no trabalho, era descrito como um homem tranquilo e doce. Mestre querido por alunos e colegas, frequentemente era eleito paraninfo e professor homenageado em cerimônias de formatura.

Chem deixou os filhos Eduardo, 39 anos, filho e colega de especialidade médica, e Carolina, 31 anos, psicóloga. O primogênito assumiu como diretor médico do banco logo depois da tragédia. Um legado passado de pai para filho.
(...)
Inaugurado em junho de 2005, o banco é uma parceria entre a Fundação Gaúcha de Bancos Sociais do Sistema Fiergs, Refinaria Alberto Pasqualini – Refap e a Santa Casa. Seu objetivo é coletar e fornecer pele humana para transplante, principalmente em casos de queimaduras graves.


Eduardo ressalta que o maior entrave hoje é a falta de doadores. No ano passado, de 139 doadores de múltiplos órgão no Estado, só 12 autorizaram a doação de pele. A expectativa é dobrar esse número em 2010.

Roberto Chem


Como funciona

> O Banco de Tecidos Humanos Dr. Roberto Corrêa Chem, no Hospital Dom Vicente Scherer da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, é capaz de captar, processar, preservar e disponibilizar lâminas de pele para pessoas que sofrem acidentes, como queimaduras extensas e profundas, ou lesões graves em que haja extensa perda cutânea.



> Ao ser transplantada, a pele funciona como um curativo biológico. É utilizada em substituição temporária aos tecidos carbonizados e mortos que foram retirados, o que melhora o quadro clínico. O tecido doado, com o tempo, é rejeitado naturalmente pelo corpo. Depois, torna-se possível fechar as lesões com um enxerto de pele retirada do próprio paciente.


> Único fornecedor, em funcionamento, de tecidos dos centros de tratamento de queimados de todo o país, o banco precisa que se aumente o número de doações de pele, processo que esbarra na falta de informação da população.


> Em casos de óbito, um profissional entrevista os familiares para saber se há interesse em doar os órgãos. É nesse momento que se deve manifestar a vontade de fazer também a doação de pele.


> A pele é retirada da região do abdômen, das costas e das coxas. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o procedimento não provoca deformidades aparentes no corpo, pois a camada retirada é muito fina. Só não podem doar os portadores de doenças infectocontagiosas.


> Informações: (51) 3213-7172.

Fonte Zero Hora - Leia  reportagem completa

Deixe seu comentário