terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Boas Festas!

                      

Aquisição de livros novos



                 A compra de livros nacionais e importados do ano de 2014 começou a chegar no mês de outubro passado.

                 Até o momento, contabilizamos 2.590 exemplares e aproximadamente 238 títulos.

                 Ainda faltam chegar mais títulos e exemplares que irão aprimorar o acervo da Biblioteca, oferecendo mais quantidade de exemplares e novos títulos a alunos, professores e usuários externos.

                 Você pode verificar estes títulos através da página de consulta ao acervo clicando em Aquisições do Mês ou Aquisições do Mês Anterior

                 Veja abaixo algumas capas do livros que chegaram:

IMPORTADOS  

        

NACIONAIS


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Neurocientistas criam canal de vídeos de divulgação científica no YouTube






          Para disseminar informações relacionadas a estudos em neurociência, pesquisadores da área criaram o NeuroChannel, canal de vídeos no YouTube gerido pelo comitê organizador do 9º Congresso Mundial do Cérebro, que, em 2015, será realizado pela International Brain Research Organization (Ibro) no Rio de Janeiro.

          Desde abril o canal publica vídeos curtos sobre temas da neurociência, com legendas em português e inglês, dirigidos a neurocientistas e ao público leigo em geral.

          Em um dos vídeos, Roberto Lent, professor do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), fala sobre o fascínio que o cérebro exerce sobre as pessoas e métodos utilizados para estudar o órgão.

          Os vídeos também trazem pesquisadores estrangeiros. Uma das gravações aborda o vício em drogas, com Barry Everitt, professor da University of Cambridge, no Reino Unido, falando sobre a vulnerabilidade do cérebro humano a substâncias estimulantes e refletindo sobre os principais desafios nesse campo.

          A iniciativa conta com o apoio da Ibro, da Sociedade Brasileira deNeurociências e Comportamento (SBNeC), do Centro de Estudos e Pesquisas Paulo Niemeyer e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico(CNPq).

          Além do canal no YouTube, em www.youtube.com/user/neurochannel1, o NeuroChannel tem uma página no Facebook: www.facebook.com/neurochannel.




FONTE: Agência FAPESP, 17/12/2014.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Alterações de horário da Biblioteca no recesso de final de ano e férias







Até 23/12 - atendimento normal, das 7h30min às 21h45min
Dia 24/12 - atendimento das 8h às 12h.
De 25/12  a 03/01 - recesso de final de ano.
De 05/01  a 21/02/2015 - atendimento das 8h às 19h.

*A partir de 03/01/2015 até o início do novo ano letivo não haverá atendimento aos sábados e na sala de pesquisa online (618).



 

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Biblioteca amplia prazo de empréstimo a partir de hoje





     
           Em razão do período de férias, a Biblioteca ampliou o prazo de empréstimo de livros, teses, dissertações, CDs e DVDs para 15 dias.

           A partir das 18h30min de hoje as renovações já têm este prazo!   

          

     

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Financiamento de até R$10 milhões para pesquisas brasileiras inovadoras em desenvolvimento infantil

Inscrições abertas até 13 de janeiro de 2015


                 
                   Brasileiros podem enviar projetos para outros dois editais: mulheres e garotas no centro do desenvolvimento e novas intervenções em saúde global.  A Fundação Bill & Melinda Gates, o Ministério da Saúde e o CNPq estão com inscrições abertas para a segunda chamada do programa Grandes Desafios Brasil.  

                    A iniciativa Grandes Desafios Brasil: Desenvolvimento Saudável para Todas as Crianças vai oferecer até R$10 milhões a estudos brasileiros capazes de detectar obstáculos ao desenvolvimento infantil e propor uma combinação de medidas inovadoras para solucioná-los.

                    O objetivo é identificar que pacotes de intervenções devem ser oferecidos à criança, e em que momento da vida, para reduzir fatores de risco que podem limitar seu desenvolvimento saudável. O edital pretende incentivar a criação e a mensuração de soluções integradas para Nascimento, Crescimento e Desenvolvimento saudáveis.

                    Os projetos devem propor combinações inovadoras de intervenções que melhorem a nutrição materna e infantil, os índices de amamentação, a assistência ao parto, os cuidados com a criança e sua estimulação precoce. A chamada também espera reduzir fatores de risco para o desenvolvimento saudável como desnutrição, prematuridade, cesáreas desnecessárias, doenças na gravidez, mortalidade infantil e a exposição à violência e ao abuso infantil.

                    A iniciativa está aberta a pesquisadores, inovadores, empreendedores e profissionais de saúde brasileiros de universidades, laboratórios, empresas, ONGs e instituições governamentais. Os candidatos devem submeter uma carta de interesse de cinco páginas explicando o projeto em inglês pelo site do CNPq até 13 de Janeiro de 2015.

                    Há duas categorias de financiamento: até R$500 mil para dois anos de pesquisa e R$4 milhões de reais para quatro anos. A descrição completa do edital em português está disponível na página do CNPq.

                    A Fundação Bill & Melinda Gates lançou outras duas chamadas globais do Grand Challenges que também estão abertas para brasileiros:  Mulheres e Garotas no Centro do Desenvolvimento; Novas Intervenções em Saúde Global. Propostas serão aceitas até o dia 13 de Janeiro de 2015 pelo site oficial do Grand Challenges: www.grandchallenges.org

Equipe Grand Challenges

FONTE: FAPERGS, 19/11/2014 

terça-feira, 11 de novembro de 2014

BIREME inaugura Repositório de Estratégias e a Busca por Temas na BVS




                 Uma das atividades da BIREME consiste em elaborar estratégias de busca com a finalidade de definir as áreas temáticas em instâncias de BVS, apoiar campanhas de promoção da saúde da OPAS/OMS, estudos com análises da literatura científica e outras aplicações. O recém lançado Repositório de Estratégias de Busca e a Busca por Temas reúnem, indexam e organizam estas fontes de informação.
                 Há vários anos a BIREME vêm apoiando usuários e a Rede BVS na construção de estratégias de busca com a finalidade de definir as áreas temáticas em instancias de BVS, incluir informação sobre literatura cientifica e técnica relevante em campanhas de promoção da saúde e datas comemorativas do calendário da OPAS/OMS, estudos com análises da literatura científica e outras aplicações. 
Como resultado desta atividade, existe hoje mais de 250 estratégias de busca que deram origem a um Repositório e a uma nova funcionalidade disponível no Portal de Busca da BVS, a Busca por Temas.

              O Repositório de Estratégias de Busca tem por objetivo facilitar a discussão e atualização das estratégias que estão aplicadas em áreas temáticas das instancias BVS (por exemplo, aplicar modificações do vocabulário controlado MeSH/DeCS que ocorrem a cada ano); possibilitar a construção coletiva de novas estratégias através do trabalho em rede; e a reutilização das estratégias em outras aplicações, como a combinação entre uma ou mais estratégias, novas áreas temáticas, e outros estudos
O Repositório está mais orientado a profissionais de ciência da informação do que ao usuário final, e funciona como uma base de dados na qual as estratégias podem ser recuperadas em interfaces nos idiomas português, espanhol e inglês, por palavras, categoria de temas ou as estratégias mais recentes (Fig.1).




Figura 1. Página inicial do Repositório de Estratégias de Busca da BVS
Clique na imagem para ampliar.



             O registro de cada estratégia de busca inclui seu título, assunto, categoria, e link para os resultados da busca no Portal de Pesquisa da BVS, base de dados onde foi aplicada, filtros empregados, além do nome da instancia de BVS onde a estratégia foi aplicada (Fig.2). também um espaço para comentários por parte dos usuários, estes são moderados e, após aprovação, são publicados na página
 



Figura 2. (A) Exemplo da descrição de uma estratégia de busca do Repositório e (B) Resultado da busca no Portal de Pesquisa da BVS
Clique na imagem para ampliar.


                 A partir do Repositório de Estratégias de Busca incluiu-se uma nova funcionalidade ao Portal de Pesquisa da BVS, a Busca por Temas. Trata-se de um recurso que permite a busca por tópicos que foram descritos ou registrados no Repositório. Há um link na página do Portal de Pesquisa da BVS logo abaixo da caixa de pesquisa que leva à Busca por Temas.
A Busca por Temas apresenta as estratégias disponíveis nesse Repositório segundo três critérios: Categoria Temática, Tema e Instância BVS que a utiliza. O usuário pode ordenar a lista por cada um dos critérios. Os Temas possuem hiperlinks que levam à estratégia e à homepage da BVS onde ela está aplicada (Fig.3).
 


Figura 3. Página inicial da Busca por Temas disponível no Portal de Pesquisa da BVS
Clique na imagem para ampliar.


      A Busca por Temas na verdade é um recurso voltado ao usuário. Por meio do hiperlink inserido no título da estratégia, o usuário chegará à uma página do Repositório de estratégias contendo a descrição detalhada da mesma. Um ícone (em forma de lupa) leva ao resultado da busca.
          Uma funcionalidade interessante disponível no Repositório de estratégias e na Busca por Temas é o RSS (que significa Really Simple Syndication). Utilizando a ferramenta RSS associada a um leitor de RSS feeds o usuário poderá receber apenas as atualizações sobre o tema de seu interesse, automaticamente, em seu computador, tablet ou smartphone, num recurso do tipo Disseminação Seletiva de Informação.



terça-feira, 4 de novembro de 2014

Conheça a nova versão do tutorial de acesso ao Portal da Capes


                        Está disponível no site da Biblioteca a nova versão do Tutorial de acesso ao Portal da Capes.

                        Em razão das alterações realizadas na interface do Portal da Capes, em 5 de julho deste ano, tornou-se necessário que fossem feitas as modificações da versão anterior do tutorial.

                        Neste tutorial, você tem acesso aos seguintes conteúdos:

Portal da Capes
nFazendo download do Proxy Periódicos
nAcesso ao Portal da Capes
nBusca em periódicos
nBusca avançada em periódicos
nBusca por área do conhecimento
nPesquisa pelo título do artigo na plataforma do periódico
nBuscar livro
nBuscar Base de Dados
nBuscar assunto
nMeu espaço
nSaúde Baseada em Evidências

                    Acesse e aprenda como fazer suas pesquisas neste importante Portal de informação!
  

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Visita da UMEC Covidien à Santa Casa


Sobre a UMEC

A Unidade Móvel Educacional Covidien, UMEC, é um projeto educacional que tem por objetivo promover o conhecimento e proporcionar o acesso às inovações tecnológicas desenvolvidas pela Covidien para diferentes profissionais da saúde. As aulas são ministradas dentro de uma carreta customizada que possui estrutura de auditório para 45 pessoas sentadas e seis estações de treinamento com simuladores para exercícios de suturas em videocirurgia.
A Covidien prioriza o investimento no desenvolvimento científico e na preparação de profissionais de todo o mundo. A companhia reconhece o potencial de crescimento no Brasil em muitas áreas, mas identifica uma lacuna significativa na formação médica, especialmente em técnicas de cirurgias minimamente invasivas.
A necessidade de formação e educação dos profissionais de saúde tem sido um tema de relevância em toda a administração pública e universidades do país, o que motivou a Covidien a investir no programa de treinamento com a Unidade Móvel de Educação da Covidien.

Sobre as aulas

As aulas ministradas dentro da UMEC baseiam-se em conteúdos que abrangem grande parte do portfólio de produtos da Covidien. Temas como, Prevenção da Trombose Venosa Profunda e Introdução às Suturas e Nós Cirúrgicos, são abordados de forma didática dando aos participantes a oportunidade de aprender e interagir com novas tecnologias.

Sobre a UMEC - Números

Em maio de 2014 a UMEC completa um ano. Desde seu lançamento foram treinados mais de 16 mil profissionais da saúde.

A UMEC visitou 21 instituições entre hospitais e universidades públicas em diferentes cidades brasileiras.

Foram ministradas 687 aulas.

E percorridos mais de 14.253 Km.

Até o final de 2014 a UMEC pretende treinar mais 7000 profissionais da saúde.


FONTE: UMEC 

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Plataforma de Jornais e Revistas PressReader está ativa para teste


              A base de dados PressReader está oferecendo gratuitamente até o dia 23.11.2014 acesso imediato a mais de 3.000 títulos de jornais e revistas de 100 países em 60 idiomas, pelo computador, tablet e celular.
              Destacam-se 08 nacionais :  Folha de São Paulo, Agora, Jornal O Dia, Correio da Bahia, Brasil Econômico, Diário do Norte do Paraná, METRO e Litoral Norte, além dos internacionais The Washington Post, Los Angeles Times, The Wall Street Journal, Clarin, El País, Times, Le Monde entre outros.
  
O acesso está aberto somente nos computadores da UFCSPA.
Ponto de Acceso para seu teste

www.pressreader.com

Acceso é autenticado com seus IPs

Instruções de App para os usuários

Instruções para ativação do acesso via Wi-Fi
1.      Conecte seu dispositivo móvel ou tablet à rede sem fio
2.      Faça o download do aplicativo da PressReader no seu programa de aplicativos ou na página: www.pressreader.com
3.      Acesse a  PressReader, escolha seu título de jornal e informe-se!

Guias de Uso

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Biblioteca não abrirá no próximo sábado (25/10)



               Informamos que a Biblioteca não abrirá no próximo sábado (25/10)
devido à organização do processo eleitoral na Universidade.

             Lembramos que sejam observadas as datas de devolução de seus materiais e que novas retiradas  podem ser feitas até sexta-feira.
       

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

OMS reúne vídeos de campanhas de segurança no trânsito em biblioteca online


Imagem do vídeo brasileiro que compõe a videoteca. Objetivo da OMS é inspirar a realização de campanhas e estimular cidadãos a cumprirem as leis de trânsito. Imagem: Reprodução


          Algumas das mais impactantes campanhas publicitárias contra a imprudência e violência no trânsito foram compiladas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em uma biblioteca online. O site contém cerca de 58 vídeos em diferentes línguas, como inglês, espanhol, tcheco, russo, português, entre outras, com o propósito de encorajar e inspirar aqueles que desenvolvem esse tipo de iniciativa, além de aumentar a consciência do público a respeito de leis de trânsito e criar um estímulo para que sejam respeitadas. No mundo, mais de 1,2 milhão de pessoas morrem anualmente em incidentes envolvendo meios de transporte e mais de 50 milhões ficam feridas em diferentes gravidades.
          Algumas das campanhas veiculadas são visualmente impressionantes e não economizam em cenas de trauma, como as desenvolvidas pela Comissão de Acidentes de Transporte (TAC), da Austrália. Um dos exemplos é o vídeo “10 km/h a menos” (veja vídeo abaixo), que mostra em detalhes as consequências de um impacto contra um pedestre, explicadas por um médico, e a diferença que faz se esse impacto ocorrer em uma velocidade menor. O objetivo é explicar que não importa se o pedestre está desatento: se o objetivo é evitar mortes, o excesso de velocidade deve ser combatido.




          Só há uma contribuição do Brasil na videoteca: o vídeo Um ou dois copos, um dos mais explícitos do país, em meio a um histórico de campanhas amenas demais para um cenário que contou 46.256 mortos no trânsito somente em 2011, segundo dados do estudo “Mapa da Violência”, divulgado no fim de 2013. São 22,67 mortes a cada 100 mil habitantes no Brasil.
          Na Austrália, país de 23,5 milhões de habitantes e responsável pelas campanhas de conscientização mais explícitas, essa taxa é de 5,2 mortes a cada 100 mil habitantes, com 1.193 mortos nas ruas e estradas australianas em 2013. Mesmo com números proporcionais muito inferiores aos brasileiros, a TAC anuncia, a cada ano, que tem ainda um longo caminho pela frente. Afinal, para quem perde um ente querido, uma única morte é suficiente para arruinar a família. Como bem lembra o texto de apresentação do site da OMS, a maior parte dessas tragédias pode ser prevenida.




Lívia Araújo

Acesse aqui a Biblioteca online

FONTE: Vá de Bike, 20/10/2014.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

País avança no desenvolvimento de métodos para substituir animais




CNPq aprova fomento de R$ 1,58 milhão para estimular produção de métodos alternativos no País
 
          O Brasil dá um passo em direção ao desenvolvimento de métodos alternativos na tentativa de substituir ou reduzir o uso de animais em experimentos científicos em laboratórios.
          O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência de fomento à pesquisa científica do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), aprovou medidas para estimular a produção de métodos alternativos. A intenção é substituir ou reduzir  o uso de experimentos com animais na pesquisa biomédica e testes toxicológicos.
          Segundo o diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde (CABS) do CNPq, Marcelo Morales, o órgão aprovou fomento de R$ 1,58 milhão para que os laboratórios centrais da Rede Nacional de Métodos Alternativos (Renama) possam desenvolver alternativas ao uso de animais. Trata-se de uma parceria entre o CNPq, MCTI e Ministério da Saúde.
          Criada há dois anos pelo MCTI, a Renama (renama@mcti.gov.br) possui três laboratórios centrais: Inmetro, Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQs) da Fiocruz e o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio). Desde a sua criação, em 2002, a Renama recebeu recursos de R$ 2,2 milhões até agora, sem considerar os novos valores anunciados.
          Na prática, os recursos atenderão a três medidas com apoio direto à Renama. A primeira destina-se ao apoio para validação do método Het-Cam (in vitro), visto como alternativa ao teste de Draize (in vivo) hoje aplicado principalmente em coelhos para avaliar potencial irritação ocular que um agente químico pode provocar no ser humano.
          A segunda é voltada ao fomento da produção de linhagem geneticamente modificada para o desenvolvimento de ensaios in vitro, a fim de reduzir ou substituir o uso de animais em experimentos científicos.
          A terceira, por sua vez, propõe o cultivo de células e tecidos humanos para testes farmacológicos e toxicológicos, chamados de body-on-a chip. Isso significa usar células humanas em um chip para simular o funcionamento do corpo humano.
Há três meses apenas no comando da área de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde do CNPq, Morales informou ainda que foram criadas áreas específicas de ciência de animais em laboratórios e de métodos alternativos ao uso de animais em experimentos científicos no órgão.
         “Essas áreas não ficarão mais perdidas. Serão avaliadas com cuidado e com a expertise de pesquisadores especializados“, disse Morales que foi coordenador do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea) e presidente da Sociedade Brasileira de Biofísica (SBF).

Apoio à medida

          A medida, que tem o apoio da comunidade científica, está em consonância com as demandas do Concea, também vinculado ao MCTI.
          O coordenador do Concea, José Mauro Granjeiro, analisou as medidas do CNPq e as considerou um alento para pesquisa científica nacional. “A medida é excelente e coloca o Brasil na fronteira da pesquisa nessa área”, assegurou.
          A maioria desses métodos alternativos, disse, ainda está em fase de pesquisa e desenvolvimento no mundo e o Brasil, agora, pode fazer parte desse processo. É o caso do método Het-Cam que, segundo Granjeiro, já foi desenvolvido na Europa, mas seu processo de validação ainda depende de algumas análises. E nesse caso, o Brasil pode participar da fase final da validação do método Het-Cam.
          “Os laboratórios da Renama receberão recursos para participar do processo de validação e testar esses métodos utilizando diversos compostos químicos já conhecidos, para certificar se são eficientes ou não. Mas tudo indica que são eficientes”, pontuou.

Validação do método Het-Cam no Brasil

          Depois que a validação do método Het-Cam for finalizada e publicada pela OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o Concea fará também o reconhecimento desse método e irá incorporá-lo “em nossas análises”.
Granjeiro analisou também a medida que fomenta a produção de linhagem geneticamente modificada para o desenvolvimento de ensaios in vitro. Para ele, essa também é uma área em desenvolvimento no mundo. Por enquanto, disse, nenhum país validou esse método porque está em fase de pesquisa e desenvolvimento.
           “É uma estratégia que vai identificar linhagens celulares com modificações específicas que ajudarão a desenvolver experimentos científicos, diminuindo ou até substituindo o uso de animais”, explica.

          O método body-on-a chip, destaca Granjeiro, também está em processo de desenvolvimento no mundo. “Existe um esforço mundial para substituir o uso de animais, em alguns tipos de testes, por esse método, que significa colocar uma célula em um chip para simular o que acontece no corpo humano.”
Na avaliação do coordenador do Concea ainda é cedo para estimar quando esse último método estará disponível no mundo. “Ainda há muito trabalho pela frente, para validar esse método e para demonstrar que ele consegue efetivamente substituir os métodos com animais”, pontua.

Estímulo à pesquisa e desenvolvimento

          Diante de tal cenário, Granjeiro destaca a importância das medidas do CNPq nesta atual conjuntura. “As medidas são importantes porque devem estimular a pesquisa em métodos alternativos atuando em dois focos relevantes: apoio à validação de métodos alternativos (Het-Cam) e desenvolvimento de novos métodos alternativos, que no futuro podem ser validados e submetidos à análise dos órgãos regulatórios e possível aceitação internacional.”
          Granjeiro reforça, porém, que em algumas áreas nem sempre será possível substituir 100% o uso de animais nos experimentos científicos.
Representante da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) no Concea, Lucile Maria Floeter Winter, professora do Departamento de Fisiologia da Universidade de São Paulo (USP), reforça tal posicionamento. Disse que áreas como fisiologia, farmacologia, além da neurociência, são as que usam mais animais nos experimentos científicos porque analisam o organismo íntegro do ser humano.

Continue lendo.... 

Viviane Monteiro


FONTE: Jornal da Ciência, 09/10/2014

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Grand Challenges Brasil financiará estudos inovadores em desenvolvimento infantil



Segunda edição do programa da Fundação Gates, em parceria com o Ministério 
da Saúde e o CNPq, oferecerá no total R$ 11 milhões (foto: Fundação Bill & Melinda Gates)
              A Fundação Bill & Melinda Gates, o Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico eTecnológico (CNPq) lançaram este mês, nos Estados Unidos, o programa Grand Challenges Brasil: Desenvolvimento Saudável para Todas as Crianças (All Children Thriving), que oferecerá R$ 11 milhões a pesquisas brasileiras sobre desenvolvimento infantil.
          O programa tem como objetivo financiar intervenções e soluções inovadoras para medir o desenvolvimento infantil e garantir que ele ocorra de maneira saudável. Com isso, busca pesquisas brasileiras que determinem quais grupos de intervenção devem ser oferecidos durante a infância para reduzir os fatores que comprometem o desenvolvimento infantil e produzem impactos na vida adulta.
          A iniciativa faz parte da família de programas Grand Challenges, da Fundação Gates, de financiamento de projetos para acelerar inovações científicas e tecnológicas em saúde global. O Grand Challenges existe há 10 anos e já financiou 1.110 projetos em 58 países.
          A primeira edição do Grand Challenges Brasil, realizada em 2013, teve como foco a prevenção e manejo de nascimentos prematuros. Foram submetidas 156 propostas. Doze foram selecionadas e os pesquisadores contemplados receberam R$ 8,4 milhões para desenvolver seus projetos ao longo de dois anos.
          Nesta segunda edição, os financiamentos variam de R$ 500 mil por dois anos a R$ 4 milhões ao longo de quatro anos. Pesquisadores, cientistas e empreendedores de todas as partes do país podem enviar propostas até o dia 13 de janeiro de 2015. Mais informações em http://gcgh.grandchallenges.org/GrantOpportunities/Pages/AllChildrenThriving.aspx

          Dentro dessa mesma família de programas, estão abertas, até 12 de novembro, as inscrições para o Grand Challenges Explorations (CGE), implementado no Brasil em parceria com as Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) de 17 estados, incluindo a FAPESP (leia mais em http://agencia.fapesp.br/programa_grand_challenges_explorations_abre_inscricoes/19954/).

          No evento realizado no início de outubro nos Estados Unidos, os parceiros internacionais também lançaram outras duas chamadas: uma focada em novas abordagens para garantir mais direitos e voz às mulheres e outra com o objetivo de acelerar e transformar inovações em vacinas, medicamentos e diagnósticos em intervenções seguras, eficazes e de baixo custo.

Mais informações: http://gcgh.grandchallenges.org/Explorations/Pages/PortGCEIntroduction.aspx


FONTE: Agência FAPESP, 14/10/2014.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Campanha de silêncio na Biblioteca


                   A partir da quinta-feira passada (9/10), a Biblioteca iniciou uma campanha de silêncio para minimizar o barulho que dificultava o estudo de seus usuários.

                   Através de cartazes e banners, a campanha tem por objetivo conscientizar para a  importância  de um ambiente propício para o estudo.

     

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Mãe luta pela legalização de remédio à base de maconha em documentário exibido nos cinemas




A luta para amenizar as crises de epilepsia com o uso da Cannabis sativa: Katiele Bortoli 
e a filha, Anny, se transformaram em símbolo da causa

A produção mostra os pontos positivos e negativos de substâncias ilícitas no país


O que uma mãe é capaz de fazer para salvar a vida da filha? Katiele Bortoli, mãe da pequena Anny, de 5 anos, que sofria de epilepsia, enfrentou a medicina e a Justiça para buscar a cura definitiva da doença por meio da substância canabidiol, extraída da Cannabis sativa, nome científico da maconha.

“De onde a canabidiol é extraída? Se fosse no abacaxi, eu poderia utilizá-la. Infelizmente, é na planta Cannabis sativa, e ela é proibida no Brasil. Porém, quando eu vi a possibilidade de tratar Anny, fui atrás. Em dado momento, cheguei a traficar, sim, mas consegui dar mais qualidade de vida para a minha filha”, afirma Katiele, primeira brasileira a ter autorização judicial para usar um produto da Cannabis.

A história da vida de Katiele é contada no filme Ilegal, que teve estreia nacional na quinta-feira (9/10) nos cinemas. A comovente realidade que a mãe enfrentou para tratar as crises de convulsão causada pela epilepsia da filha é contada pelo jornalista paulista Tarso Araújo, diretor do longa.

“A ideia surgiu depois de uma entrevista que fiz com ela. O relato me comoveu muito e quis ajudá-la. A proposta, em nenhum momento, é falar sobre droga, e sim mostrar a história de uma mãe que luta para salvar a vida da filha. Espero que o país estude mais a sério o tratamento medicinal alternativo para certas doenças”, afirma Tarso. A canabidiol (CBD) é um dos 60 componentes que está presente na Cannabis sativa. Ela é utilizada legalmente em mais de 20 estados norte-americanos, porém, no Brasil, o subproduto da maconha é ilegal.

Confira entrevista com a cineasta Núbia Santana, que dirigiu o documentário A pedra do mal, que discute a questão do crack na sociedade brasiliense.

Você não teve medo de ir a bocas de fumo coletar as imagens e informações?

Em alguns momentos, passei por situações complicadas, mas não temia os traficantes nem usuários. Tive um diálogo com ele cara a cara. Você não pode vacilar, enrolar, tem que falar olhando bem nos olhos deles, sem desviar ou titubear. Comecei indo sozinha, sem câmaras ou ninguém da equipe, para estabelecer uma relação de confiança. Sempre levava comigo um DVD do documentário Pra ficar de boa, para mostrar a eles quem eu era e o que realmente queria. Eles me respeitaram como artista.

O Brasil é o país com maior registro de consumo de crack no mundo, segundo estudo da estudo da Unifesp. Por quê?
Não posso dizer em o que acontece em todo o Brasil, mas, em Brasília, notei que muitos dos usuários tem problemas familiares ou financeiros. O que mais me chocou foi perceber que não se restringe a ricos ou pobres. Vi garotos de seis anos viciados, e também grandes empresários, donos de mansões e de empresas. Fiquei impressionada, também, com o estilo de vida dos traficantes. Eles não usam drogas pesadas de jeito nenhum, passando longe de crack ou cocaína, e tratam o usuário como uma marionete. Fui ao encontro de um chefão do tráfico em Brasília, que comanda bocas de fumo em 15 cidades, dentro de um shopping. Quem o vê e não o conhece, nem imagina a figura que está por trás.


Rebeca Oliveira -
Elô Bittencourt - Especial para o Correio Braziliense
 
Assista o trailer do documentário:



Ilegal
Documentário, 12 anos.
De Raphael Erichsen e Tarso Araújo.  
Brasil, 2014, 90 min.

Espaço Itaú 8 (13h, 14h40, 16h30, 20h10, 22h)


FONTE: Correio Braziliense, 9/10/2014