sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Cientistas brasileiros desenvolvem método para diagnosticar esquizofrenia mais rápido

Cientistas brasileiros desenvolvem método para diagnosticar esquizofrenia mais rápido (Imagem: Google Plus)
Pesquisa publicada pela revista científica NPJ Schizophrenia – disponível no acervo do Portal de Periódicos da CAPES – apresenta uma grande novidade para o estudo de doenças psíquicas. Trata-se de um novo método para o diagnóstico de esquizofrenia, desenvolvido por pesquisadores brasileiros. Com mais de 90% de precisão, o exame tem como principal benefício para o paciente “uma avaliação complementar mais precisa e objetiva, evitando falsos diagnósticos positivos ou negativos e, portanto, diminuindo as chances de condutas inadequadas”, segundo Natália Mota, primeira autora do artigo. 


Atualmente, a psiquiatria segue manuais estatísticos que identificam a doença por meio do comportamento e por informações fornecidas pelo próprio paciente e seus familiares. “Para o diagnóstico da esquizofrenia, é necessário observar o paciente por pelo menos seis meses. Nesse meio tempo, é necessário ter uma hipótese diagnóstica e iniciar tratamento medicamentoso muitas vezes, o que pode levar os pacientes à análise e ao tratamento inadequados, retardando a recuperação ou mesmo levando a estigmas desnecessários”, esclarece Natália.  

De acordo com a cientista, o estudo está inserido em um novo campo denominado “Psiquiatria Computacional”. “Desenvolvemos um software que caracteriza a estrutura de um relato livre de memória feito pelo paciente”, explica a pesquisadora. “Representando a trajetória das palavras faladas como um grafo (estrutura matemática), podemos quantificar objetivamente o quanto é pouco conectado o grafo de sujeitos que recebem o diagnóstico de esquizofrenia pela equipe clínica”, explica. 

“Nós desenvolvemos a técnica no Instituto do Cérebro (da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN) durante o meu mestrado, no laboratório do professor Sidarta Ribeiro, que foi co-orientador do trabalho. Meu orientador foi o professor Mauro Copelli, do Departamento de Física da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Em 2014 publicamos os resultados em pacientes crônicos e este ano (2017) publicamos a aplicação do método para diagnóstico de esquizofrenia nos primeiros sinais da desordem durante a primeira consulta, seis meses antes do método convencional”, diz Natália. 

A cientista detalha o procedimento: “solicitamos aos pacientes um relato de um sonho recente e mostramos uma imagem de conteúdo afetivo negativo, que deve ser relatada logo após desaparecer da tela do computador. Cada relato é limitado a 30 segundos, gravado, transcrito e representado como grafo de palavras. Então, são calculados atributos de conectividade que caracterizam a desorganização do discurso do paciente”.  


A nova técnica poderá antecipar o diagnóstico da esquizofrenia em pelo menos seis meses (Ilustração: MeuCerebro.com)Natália afirma que o grupo de trabalho se inspirou na psicopatologia clássica que, desde as primeiras descrições da doença, descrevem alterações da trajetória de palavras usadas para descrever memórias de eventos cotidianos, que refletem uma desorganização dos pensamentos em pacientes com o diagnóstico. “O que fizemos foi aplicar um método matemático para a descrição psicopatológica dos sintomas, verificando-os em amostras clínicas quantitativamente e sem viés subjetivo de interpretação, automatizando o processo”, comenta. 


O exame já foi aplicado em caráter experimental em sujeitos com desordem crônica e durante os primeiros sintomas, mas ainda são necessários mais estudos em um número maior de pacientes para estabelecimento de padrões de referência.

Natália Mota é bolsista da CAPES e recebeu apoio durante os períodos de mestrado e doutorado. “Utilizo o Portal de Periódicos com frequência; o acesso a artigos científicos é fundamental para o trabalho de pesquisa. Sou muito grata pela oportunidade de ser bolsista da CAPES. Sem dúvida, sem esse financiamento, nem metade das investigações seria possível”, comemora.

Intitulado Thought disorder measured as random speech structure classifies negative symptoms and schizophrenia diagnosis 6 months in advance, o artigo científico está disponível em texto completo na revista científica NPJ Schizophrenia. O título pode ser localizado na opção Buscar periódico do Portal.
Alice Oliveira dos Santos

Fonte: Portal CAPES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: